botao de busca



VOLTAR


<<< Anterior      Próxima >>>


Escolha o tamanho da fonte - A - A
26/Março/2020

Pesquisa no Canadá para teste rápido e eficaz contra Coronavírus

O cientista cita métodos inovadores de detecção e tratamento da doença e destaca parceria com o Hospital da Santa Casa do Rio de Janeiro


Pesquisa no Canadá para teste rápido e eficaz contra Coronavírus

O cientista canadense, Dr. Jacques Tremblay, alerta sobre a urgência do COVID-19. Tremblay é professor do Departamento de Medicina Molecular da Universidade de Laval e pesquisador do Centro Hospitalar da Universidade de Laval, Quebec. Ele cita métodos inovadores de detecção e tratamento da doença em carta dirigida aos ministros Luis Mandetta (Ministério da Saúde), Marcos Pontes (Ministério da Ciência e Tecnologia) e ao Presidente Jair Bolsonaro a urgência da detecção do COVID-19.

A equipe do Dr. Jacques está empenhada em desenvolver métodos inovadores de detecção e tratamento do Coronavírus com base na tecnologia CRISPR. E visto o rápido crescimento da doença aqui no país e no mundo, é necessário mais do que nunca a colaboração entre governos e pesquisadores em todo o mundo. Algo que professor Tremblay está, portanto, tentando estabelecer com diversos países, incluindo o Brasil. Essa colaboração pode ajudar bastante a reduzir o impacto da epidemia. Ele enfatiza a importância dessa integração para resolver os problemas causados pelo COVID-19 que já infectou centenas de milhares de pessoas em todo o mundo.

Em sua carta, o professor indica que o método atual para detectar o COVID-19 na maioria dos países é o RT-PCR. É um método baseado na transcriptase reversa e na reação em cadeia da polimerase. Este método requer técnicos treinados e equipamentos de laboratório com número limitado. Ele sugere que esse método poderia ser substituído por um novo, mais simples e mais eficiente, que não requer profissionais técnicos e equipamentos dedicados, o que limita o número de testes realizados e atrasa o diagnóstico da doença. A potencial nova técnica citada é a CRISPR, existente desde 2017 e é muito mais rápida e pode ser mais apropriada para a atual crise. Por ser mais sensível e mais rápida, a tecnologia chamada Sherlock (derivada da tecnologia CRISPR) facilitaria a detecção de infecções virais e poderia ser usada por muitas clínicas em todo o Brasil. O cientista ressalta que a tecnologia Sherlock já foi usada com sucesso para detectar os vírus ZIKA e Dengue. Portanto, poderia ser usado para detectar o COVID-19.

Tremblay diz que o novo teste de Sherlock é tão simples quanto um teste de gravidez. Ele usa uma tira simples de papelão e a aparência de uma faixa preta indica um resultado positivo. Portanto, é mais barato que o teste de RT-PCR atualmente usado. Além disso, pode ser usado diretamente sem treinamento técnico ou equipamento caro em qualquer clínica. Sobre o Brasil, ele diz que gostaria de colaborar com pesquisadores brasileiros da unidade de imunologia do hospital Santa Casa da Misericórdia, no Rio de Janeiro, para desenvolver essa tecnologia de detecção e, posteriormente, um tratamento para o COVID-19.

O médico brasileiro Marcello Bossois que participa do grupo de pesquisa com o cientista canadense na parceria do Hospital Santa Casa do Rio de Janeiro e a Universidade Laval. Marcello Boissois tem divulgado algumas informações científicas do Coronavírus através de seu canal no YouTube. Ele criou uma lista de reprodução de vídeos científicos específicos sobre o assunto e está constantemente compartilhando informações sobre como prevenir complicações do coronavírus. O professor Tremblay coloca à disposição o Centro de Pesquisa do CHU de Quebec-Université Laval através da unidade de imunologia do Hospital da Santa Casa e diz que gostaria de colaborar com cientistas brasileiros nesse momento de crise internacional em que pesquisadores de todos os países devem colaborar o máximo possível.

Outro aspecto em que o pesquisador insiste é que a atual técnica de RT-PCR só pode detectar o vírus após o paciente ter desenvolvido sintomas, o que atrasa o início do tratamento e aumenta o risco de morte. A potencial nova técnica de detecção para infecções virais por CRISPR, por ser mais sensível, acelera a detecção e aumenta as chances de tratamento para a pessoa. Além das vantagens mencionadas na implementação de Sherlock para o diagnóstico da doença, a tecnologia CRISPR também pode ser usada para desenvolver um tratamento para infecções virais, incluindo o COVID-19. Inclusive na semana passada, resultados promissores foram publicados sobre o uso da técnica e, embora sejam necessárias mais pesquisas para o novo tratamento ser usado em pacientes, os estudos demonstraram que o COVID-19 pode ser destruído em células infectadas usando esta técnica.

Em função da rapidez desse teste descobriríamos os pacientes que apesar de serem assintomáticos são transmissores da doença e dessa forma aqueles que fossem diagnosticados com o vírus poderiam ser isolados. Além da saúde da população também a economia poderia dessa forma ser favorecida através de uma maior garantia de que aqueles que não possuem a doença possam produzir. Inclusive isso vale para trabalhos de extrema necessidade nesse momento como pessoas empregadas na linha de produção e distribuição de alimentos, profissionais de saúde, trabalhadores de limpeza urbana dentre outros.

Os testes de detecção de doenças podem ser decisivos na luta contra o COVID-19, no entanto, eles são apenas parte do problema, diz Tremblay. Ele ressalta que a busca pela prevenção é agora um grande esforço da comunidade científica internacional e também é essencial o desenvolvimento de um tratamento adequado para aqueles que já estão infectados.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

1 Jinek, M. et al. A programmable dual-RNA-guided DNA endonuclease in adaptive bacterial immunity. Science 337, 816-821, doi:10.1126/science.1225829 (2012).

2. Gootenberg, J. S. et al. Multiplexed and portable nucleic acid detection platform with Cas13, Cas12a, and Csm6. Science 360, 439-444, doi:10.1126/science.aaq0179 (2018).

3. Gootenberg, J. S. et al. Nucleic acid detection with CRISPR-Cas13a/C2c2. Science 356, 438-442, doi:10.1126/science.aam9321 (2017).

4. Abbott, T. R. et al. Development of CRISPR as a prophylactic strategy to combat novel coronavirus and influenza. bioRxiv https://doi.org/10.1101/2020.03.13.991307. (2020 ).

Website: https://bit.ly/marcellobossois_youtube


Fonte: Dino Notícias




COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS
  • Digg
  • del.icio.us
  • DZone
  • blogmarks
  • StumbleUpon
  • Facebook
  • Tumblr
  • TwitThis
  • Print
  • email
  • Live
  • Yahoo! Bookmarks

Comente esta notícia


Ver mais notícias rss




© 2009-2020 Guias Web - Todos os Direitos Reservados - Normas de Uso - Política de Privacidade